DICAS PARA O CONSUMIDOR
Troca da Compra
Comemorar o Dia das Mães, comprando um belo presente para aquela que lhe colocou no mundo lhe criou e educou com todo carinho, é com certeza um prazer muito especial. O único problema dessa história é saber o presente certo para comprar para mamãe e não errar nos detalhes como, tamanho, cor, numeração e etc.

O comércio nesta época do ano fica movimentado e as lojas, é claro cheia de consumidores que normalmente como bons brasileiros, deixam as compras para última hora.

Resultado: Muitas vezes, nesta confusão e correria para não deixar a mamãe sem presente, a gente acaba trocando as informações e erra feio, na hora da compra.
A solução é uma só: Deixar passar a festa e correr atrás do prejuízo para tentar trocar o presente.

Sendo assim, saiba que alguns cuidados básicos devem ser tomados lá na frente, na hora da compra, para que você não corra o risco de não conseguir trocar o presente.

Na hora da troca, o comércio de um modo geral retoma a confusão dos dias anteriores. Então, é preciso ter a garantia da troca e prestar atenção para não errar outra vez.

O grande problema é que muita gente não sabe que na verdade a troca de um produto só está garantida se quem comprou o presente, ou seja, o consumidor acertou este detalhe com o comerciante ou vendedor. Esse é um compromisso que deve ser firmado por escrito, num cartão de visitas da loja ou no verso da nota fiscal, com a assinatura do responsável pelo estabelecimento.

Todo consumidor deve prestar muita atenção neste detalhe para não reclamar e discutir com o comerciante depois. Nós consumidores, temos diretos, mas também temos deveres que nos garantem no futuro nosso bem estar, evitando assim, dores de cabeça na hora da troca de um produto. São pequenos detalhes que se colocados em prática na hora da compra, podem beneficiar a todos evitando assim uma grande confusão. Se a troca estiver garantida conforme a lei, vira promessa e como promessa é dívida, se ela não for cumprida, denuncie o fato a um Órgão de Defesa do Consumidor e à polícia por afirmação falsa e enganosa (Amparo Legal: artigos 34 e 66 do CPDC).

O consumidor deve ficar atento também para outro detalhe: O trato ou acordo anterior por escrito é uma solução, mas se o produto estiver com defeito ou danificado durante o uso, por falhas de informação na etiqueta ele deve ser trocado. Se isso não acontecer, você pode pedir a fiscalização do Immetro ou do Procon.

Importante: Nunca se esqueça que a compra deve estar dentro do prazo de garantia determinado por lei (Amparo Legal: artigos 24 e 26, inciso II, do CPDC). Esta informação é fundamental.

Se você não se enquadra em nenhum desses casos, reze para que o comerciante seja bonzinho e quebre seu galho, porque a lei não obriga que ele deve fazer a troca (Amparo Legal: artigo 18 do CPDC).
retorna  
Índice de Dicas