DICAS PARA O CONSUMIDOR
Orçamento Doméstico
O mês nem acabou, e você já está pensando como irá pagar as contas? As despesas são inúmeras e o dinheiro é pouco? Se quando nada sobra já é ruim, imagine se você tiver que entrar no cheque especial, ou ficar devendo no cartão de crédito ! Se você Consumidor está passando por esta situação, vamos ajudá-lo a elaborar um orçamento doméstico. Nem sempre é uma tarefa fácil, mas definir as suas necessidades e planejar todos os gastos, considerando sempre a renda disponível, é uma forma de começar a economizar, e tornar a sua vida mais organizada e tranqüila.

A todo momento você é compelido a consumir por conta de datas comemorativas, como aniversários, casamentos, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Dia de Finados, Natal, e tantos outras despesas do nosso dia-a-dia. Mas, é preciso controlar os seus impulsos; mudar o seu comportamento de consumo. Então, vamos às dicas:

- relacione suas despesas fixas: água, luz, gás, telefone fixo, celular, internet, aluguel, condomínio, educação, assistência médica, supermercado, etc. Isoladamente os valores podem ser pequenos, porém ao somá-los poderão tornar-se bem expressivos.

- reserve uma parte de sua renda para despesas eventuais como remédios, consertos em geral, cabeleireiro, oficina mecânica, lazer, viagem, etc. Muitas vezes estes pequenos gastos podem pesar no seu orçamento.

Lembre-se: economizar é a alma do negócio ! O segredo está em controlar, e não desperdiçar.

- supermercado: antes de ir, faça uma lista de tudo o que você precisa para evitar fazer compras desnecessárias. Não se esqueça de se alimentar antes, pois o consumidor compra mais quando está com fome. Isto é matéria de estudos de consumo internacional;

- vestuário: pesquise sempre, compare os preços. Tome cuidado com as promoções, pois nem sempre elas são tão vantajosas. As promoções custam publicidade, e quem paga é você;

- energia elétrica:

1) lâmpadas: procure utilizar lâmpadas fluorescentes que duram mais, e reduzem o gasto com energia, 20% em relação às outras. Acenda a luz somente se houver necessidade;

2) televisão: desligue o aparelho quando ninguém estiver assistindo. Não deixe no stand-by. O consumo dos equipamentos nesse modo stand-by pode representar cerca de 12% do seu consumo anual de eletricidade. Isto vale também para os equipamentos como microondas, rádio-relógio, impressora, secretária eletrônica, vídeo game, telefone sem fio, vídeo cassete, etc.;
3) máquina de lavar: use-a uma vez por semana, na sua capacidade máxima;

4) geladeira e freezer: evite o "abre e fecha" da porta, ou deixar a porta aberta por longo tempo, pois isto provoca grande consumo de energia. Siga as orientações fornecidas pelo fabricante para adequar o termostato desses equipamentos às várias estações do ano. Se a sua geladeira não possui o selo procel, ela consumirá até 80% mais;


5) ferro de passar: passe a maior quantidade possível de roupas de uma só vez. Ao ligar o ferro de maneira constante, você estará consumindo mais energia. Siga a temperatura indicada para cada tipo de tecido;

- gás de cozinha: diminua a chama do fogão quando os alimentos começarem a ferver;

- telefone fixo: procure utilizá-lo somente quando necessário. Pesquise sobre os horários, onde a tarifa é mais vantajosa;

- celular: utilize, se possível, somente para recados, e recebimento de ligações que não custam nada. Escolha um pacote adequado ao seu orçamento;

- internet: verifique o serviço que atende a sua necessidade, e cuja mensalidade não sobrecarregue suas despesas. Você pode usar também a internet discada. Atualmente, existe um novo serviço de banda larga por R$ 29,00 mensais, autorizado pela ANATEL;

- água: utilize a água racionalmente. Mantenha as torneiras sempre bem fechadas, e verifique se não há vazamentos. Nunca abra a torneira no máximo; deixe correr pouca água. Não ligue o chuveiro antes de entrar no box;

- aluguel e condomínio: mantenha o pagamento dessas despesas em dia, evitando juros e multas;

- mensalidades escolares, convênios, etc.: verifique a possibilidade de adequar os vencimentos a datas posteriores a do recebimento do seu salário / renda. Você pode negociar a data de pagamento.

Atenção: opte pelo pagamento a vista para obter bons descontos, pois mesmo no parcelamento "sem acréscimo" geralmente estão embutidos altos juros.

Cuidado: devido à facilidade de uso do cheque especial e do cartão de crédito, o controle das despesas realizadas com eles deve ser redobrado. Não utilize o cartão de crédito, planejando efetuar apenas o pagamento mínimo mensal, pois os juros são os mais altos do mercado. A taxa de juros do cartão está em torno de 9% ao mês, chegando, acumulada, a 280% ao ano. Se não puder pagar a fatura do cartão de uma só vez, melhor é fazer um empréstimo pessoal no banco, onde a taxa de juros gira em torno de 3% ao mês. Analise, pesquise, compare e negocie sempre o melhor preço e condição de pagamento.

Economize para não perder o sono !
retorna  
Índice de Dicas